Mês: Janeiro 2015

Uganga – Opressor

Featured image

Eis que um ano após seu primeiro álbum ao vivo “Eurocaos”, os mineiros do Uganga voltam ao cenário com um novo trabalho em estúdio. “Opressor” é o quarto álbum do quinteto formado por Manu “Joker” (vocal), Christian Franco e Thiago Soraggi (guitarras), Raphael “Ras” Franco (baixo e vocal) e Marco Henriques (bateria e vocal) e mostra tudo aquilo pelo qual a banda é conhecida: letras fortes, vocal raivoso de Manu, um instrumental bem levado e enérgico, mesclando thrash metal e hardcore de maneira bastante harmoniosa.

“Opressor” é aberto com “Guerra”, faixa com um refrão forte e que dá ao ouvinte uma ideia do que está por vir, caso não seja familiarizado com o trabalho da banda. “O Campo”, inspirada pelos campos de concentração dos nazistas na Polônia (visitados pela banda durante sua turnê pelo continente europeu em 2010) é, de longe, o grande destaque do álbum, seja pelo instrumental, seja, principalmente, pelas letras e pela quebrada de ritmo ocasionada pelo coral no refrão, sendo uma das faixas mais cadenciadas do álbum. Além dessas, podemos apontar “Veredas”, “Moleque de Pedra”, que conta com participação especial de Juarez Tibanha (Scourge), a porrada “Who are the True?”, versão do Uganga para música gravada originalmente pela banda Vulcano, “Aos Pés da Grande Árvore” e “Guerreiro”, que fecha o petardo de maneira inusitada ao quebrar o ritmo frenético que marcou as músicas anteriores e envereda por ritmos mais cadenciados.

Com treze faixas no total, “Opressor” é outro trabalho feito com bastante esmero – foram dois anos entre composição e gravação das músicas – e mostra novamente o potencial do Uganga para se destacar no cenário do trash metal/hardcore nacional.

Anúncios

The Leprechaun – Long Road

CD Digipak (4 Panel One Pocket) [CDDG4T1-004]Formada por Fabiana Santos (vocais), Bruno Stankevicius e Paulo Sampaio (violões), Eric Fontes (baixo), Rafael Schardosim (banjo), Andrew Nathanael (violino) e Fernando Zornoff (bateria), o The Leprechaun tem uma história, no mínimo, inusitada. Formada em 2009 a proposta inicial do grupo era enveredar pelo punk. Três anos depois, apenas Eric, Fernando e Rafael – que na fase punk da banda era responsável pela guitarra – restavam na banda e o trio decidiu partir por outro caminho totalmente diverso e seguir pela estrada da música folk, ainda que suas composições tenham um quê da pegada punk, com músicas diretas e, muitas vezes, cheias de energia de outrora.

Naquele mesmo ano a banda estreou com “The Years Are Just Packed” e, dois anos depois, lançou no mercado esse “Long Road”, através da gravadora Hearts Bleed Blue. Honestamente , após escutar o disco diversas vezes é seguro dizer que, por mais estranha que a mistura de folk e punk possa parecer, ela funciona direitinho no trabalho do The Leprechaun.

“Long Road” tem doze faixas e a banda soube equilibrar bem o material, que é todo acústico, ao longo do álbum, alternando bem músicas mais calmas com aquelas com uma pegada mais agitada. “Culprits and Victims”, que abre a bolachinha, a bela “Blood Puddles”, a contagiante “They Won’t Control Our Freedom (For a Day)” e “Lemon Trees” são alguns dos destaques do álbum. Apostando em seu próprio potencial, a banda chegou a gravar um vídeo para “Hold the World”, que pode lhe dar uma ideia do que o grupo tem a oferecer.

Vale à pena dar uma chance ao som dos caras – e da garota – especialmente se folk rock é sua praia.