Grave Digger – Return of the Reaper

Com uma longa discografia da bagagem o Grave Digger é aquela típica banda que, raríssimas exceções, nunca decepciona seus fãs. Formada na Alemanha no começo dos anos 1980, quando o estilo germânico de metal que viria a ser conhecido como power metal dava seus primeiros passos, o grupo liderado pelo vocalista Chris Boltendahl, único remanescente da formação original, se apegou à fórmula e dificilmente se desvia dela.

“Return of the Reaper” é seu 17º álbum de estúdio e mostra o Grave Digger em plena forma, mesmo que repetindo a mesma fórmula de sempre. Com o baterista Stefan Arnold, o baixista Jens Becker, o tecladista Hans Peter “H.P.” Katzenburg (que normalmente se apresenta sob os trajes do mascote da banda) e o guitarrista Axel Ritt completando a formação, o que se ouve em “Return of the Ripper” é power metal puro e simples. Riffs bem colocados, solos virtuosos, coros, letras envolvendo o ceifador, guerra e morte e especialmente, refrões grudentos estão presentes por todo o álbum o que é, repito, aquilo que todo o fã de Grave Digger poderia esperar. Duvida? Então dá uma escutada em “Tattoed Rider”, “Road Rage Killer”, “Dia de Los Muertos” e “Death Smiles at All of Us” e comprove o que digo. Há até a indefectível balada em “Nothing to Believe”, para fechar o álbum.

Se a versão regular de “Return of the Reaper” já é interessante e atende aos desejos dos fãs, a edição limitada traz um segundo disco – aliás, coisa que vem se tornando usual nos lançamentos do Grave Digger – que é uma agradável surpresa. Afinal, além de duas faixas inéditas de bônus, ele vem ainda com oito faixas gravadas ao vivo em formato acústico. Não tem como não achar interessante – ou estranho, dependendo de seu gosto pessoal – escutar clássicos da banda como The “Dark of the Sun”, “Rebellion (the Clans are Marching) e “Heavy Metal Breakdown”, músicas conhecidas por dar dor no pescoço de headbangers ao redor do mundo, em uma roupagem que talvez agradasse até a seu pai fã de MPB.

Não dá pra dizer que “Return of the Reaper” é o melhor que o Grave Digger já fez mas, como sempre, é um esforço consciente da banda em atender aos fãs tradicionais e, no caso de sua edição limitada, trazer algo de novo para aqueles que gostariam de ver o grupo trilhar caminhos menos conhecidos. Vale à pena dar uma conferida, caso power metal seja um estilo musical que lhe agrade.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s