Angra – Angel’s Cry 20th Anniversary Tour

Aos trancos e barrancos, banda completa sua segunda década ativa

Imagem

O Angra tem o mérito de ser uma das mais reconhecidas bandas de metal tupiniquim fora do país. Com uma história tão conturbada, é impressionante ver que os caras chegaram ao vigésimo ano de carreira em boa forma e, para comemorar o feito, acabaram de lançar no mercado esse “Angels Cry: 20th Anniversary Tour”, um pacote composto de um DVD e um CD ao vivo, captando o registro de um show na capital paulista. O que será analisado aqui é o conteúdo do CD.

Não é segredo para ninguém que acompanha a cena de perto que o Angra passou por pelo menos dois baques gigantescos nessas duas décadas. O primeiro aconteceu no meio do ano 2000 quando, no auge da popularidade, disputas internas fizeram com que 3/5s da banda – o vocalista André Matos, o baixista Luiz Mariutti e o baterista Ricardo Confessori – simplesmente abandonassem o barco em uma separação bastante ruidosa. Muito se especulou na época que o Angra, cuja imagem estava muito ligada à figura de Matos, estava irremediavelmente acabado. No entanto, os membros remanescentes, a dupla de guitarristas Rafael Bittencourt e Kiko Loureiro, resolveram que não era bem assim e, depois de um longo processo, selecionaram Edu Falaschi, Felipe Andreoli e Aquiles Priester para ocupar as respectivas vagas em aberto.

Com uma nova formação, o Angra iniciou a década passada mostrando que estava vivo lançando um álbum consistente atrás do outro. Os pontos fora da curva acabam sendo o excelente “Temple of Shadows” de 2004 e o esquecível “Aurora Consurgens”, de 2006. Tudo parecia correr bem após o lançamento de “Aqua”, de 2010. Parecia.

Pouco depois do lançamento do álbum, Aquiles Priester resolve encerrar sua história na banda de maneira deveras ruidosa. Dessa vez a procura foi menor e o filho pródigo Ricardo Confessori a casa torna. As coisas, no entanto, pioram quando, após uma apresentação desastrosa no Rock in Rio de 2011, o vocalista Edu Falaschi abandona o barco. Com uma agenda cheia e sem muito tempo para selecionar uma nova pessoa para a posição, o Angra resolve improvisar e Rafael e Kiko entram em contato com o vocalista italiano Fábio Lione e oferecem a ele o emprego temporário. Já tendo seu tempo dividido entre o Rhapsody of Fire e o Vision Divine, Fábio aceitou a oferta e passou a excursionar com a banda. O resultado dessa parceria pode ser visto – e ouvido – nesse lançamento.

Apesar de ser um trabalho que comemora o 20º aniversário do lançamento do primeiro álbum, ao contrário do que André Matos vem fazendo em sua turnê, aqui o Angra não toca “Angels Cry” na íntegra e prefere fazer um apanhado de toda a sua carreira. O resultado não poderia ser melhor. Clássicos como “Nothing to Say”, “Carry on”, “Angels Cry” e “Rebirth” marcam presença e são alguns dos pontos altos do álbum, assim como “Reaching Horizons”, faixa acústica que é cantada por Rafael e executada apenas por ele e Kiko.

No quesito participações especiais, o Angra foi certeiro na lista de convidados: a vocalista Tarja Turunen (ex-Nightwish) dá a voz – e que voz! – da graça em “Stand Away”, na qual executa um belo dueto com Lione e em Wuthering Heights, cover de Kate Bush no qual tem a companhia ilustre ex-guitarrista dos Scorpions, Uli Jon Roth e da Família Lima. A última participação fica por conta do baterista Amílcar Christófaro, do Torture Squad, em “Evil Warning”. Essa, no entanto, ficou de fora do cd.

O ponto negativo do lançamento é justamente o fato de áudio e vídeo terem materiais diferentes. Enquanto o CD conta com 15 faixas, o DVD traz as 19 músicas que representam a totalidade do show. Mesmo com ambos sendo comercializados no mesmo pacote, talvez um lançamento contendo o DVD mais CD duplo com a íntegra do espetáculo fosse algo mais interessante, a exemplo do que fez o Edguy com seu “Fucking with Fire”, álbum ao vivo também gravado em São Paulo em 2006 e lançado em 2009, o qual trazia DVD simples e CD duplo no mesmo produto.   

De qualquer forma, esse é apenas um detalhe, já que “Angels Cry: 20th Anniversary Tour” é um excelente apanhado das duas décadas de carreira do Angra e mostra que Rafael e Kiko acertaram em cheio ao convidar Fábio Lione para assumir os vocais da banda mesmo que apenas temporariamente (ainda que esse “temporariamente” cada dia mais caminhe para um “permanentemente”). O cara é um monstro e consegue muito bem cantar tanto as músicas da primeira (com André Matos) quanto da segunda (com Edu Falaschi) fase da banda de maneira bastante competente, trazendo até mais qualidade a algumas delas. É bem legal também ver como ele se entrosou rapidamente com os demais integrantes da banda, de forma que a química em cima do palco funciona muito bem. Quem teve a oportunidade de ver algum show dessa turnê do Angra ao vivo sabe bem do que estou falando.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s