Psychotic Eyes – I Only Smile Behind the Mask

Segundo álbum de uma das promessas do death metal nacional

Formada em 1999, o Psychotic Eyes começou sua carreira como toda banda que não é o Restart: lançando demos. Duas delas foram lançadas antes que, em 2007, a banda, na época contando com Dimitri Brandi (vocal/guitarra), Alexandre Tamarossi (bateria), Valdemar Ferrari (guitarras) e Leandro Araújo (baixo), partisse para seu primeiro álbum, auto-intitulado. O trabalho chamou alguma atenção e garantiu à banda algumas apresentações ao vivo, enquanto se preocupavam com as composições do seu sucessor.

Eis que, em 2011 o Psychotic Eyes, transformado em um trio, com Dimitri e Tamarossi sendo os únicos remanescentes da formação original, adicionados do baixista Rodrigo Nunes (ex- Drowned e Eminence), entra em estúdio para seu segundo álbum, esse “I Only Smile Behind the Mask”. Após a gravação, Rodrigo deixou o barco, sendo substituído por Douglas Gatuso (Side Effectz)

Lançado exclusivamente para download no site da banda, “I Only Smile Behind the Mask” traz sete faixas do mais puro death metal. Um death metal bastante calcado na sonoridade daquele praticado nos primórdios dos anos 1980, mas também trazendo diversas influências progressivas, adicionando elementos advindos de estilos mais facilmente “digeríveis”, como heavy metal e thrash, combinados de forma a trazer um produto final bastante coeso e interessante. Um outro ponto a favor do Psychotic Eyes é o fato de a banda fugir das temáticas comumente exploradas nas letras do estilo e investir em temas mais pessoais e mesmo singelos – bom, tão singelos quanto uma banda de death metal pode ser. Provas disso são a faixa título, “Throwing Into Chaos”, escrita por Adriano Villa, a mente por trás de todas as letras do projeto Hamlet – álbum que reuniu diversas bandas tupiniquins reinterpretando a obra de William Sheakspeare – e “Dying Grief”, na qual Dimitri expressa o tornado de emoções pelo qual passou quando da morte de seu pai.

O álbum ainda guarda surpresas, em “Life”, uma quase balada – novamente, dentro do que bandas de death metal podem fazer – e em “The Girl”, uma faixa com andamento mais cadenciado que se trata de uma releitura bastante pessoal de “Geni e o Zepelim”, de Chico Buarque de Hollanda.

No final das contas, “I Only Smile Behind the Mask” é mais um passo na evolução musical do Psychotic Eyes, que impressiona por sua técnica e peso, especialmente por ser um power trio. Vale uma conferida.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s